Portal da Cidade Porto Velho

VIOLÊNCIA

Governador diz que usará força necessária para prender autores da morte dos PMs

O grupo é formado por pessoas treinadas, que possuem tecnologia e armamento pesado

Postado em 04/10/2020 às 21:40

(Foto: PM-RO / Divulgação)

(Foto: PM-RO / Divulgação)

Em coletiva à imprensa neste domingo (4), governador de Rondônia Coronel Marcos Rocha, afirmou que usará a força necessária para prender os responsáveis pela morte do tenente da Polícia Militar José Figueiredo Sobrinho e do sargento Márcio Rodrigues da Silva. Os militares foram mortos neste sábado (03), por um grupo armado em uma fazenda na BR-364, a cerca de 30 quilômetros após Nova Mutum Paraná, distrito de Porto Velho. 

Segundo o governador, o grupo responsável pela emboscada é formado por pessoas treinadas, que possuem tecnologia e armamento pesado.  Não são ações de pessoas que estão buscando terra para sobreviver. É importante que a Justiça perceba que essas ações são criminosas. . E nós temos produtores rurais aqui, temos agricultores que estão amedrontados. Temos que tomar uma atitude e essa atitude vai ser tomada utilizando a força necessária”, declarou o governador Marcos Rocha. 

O Comando da PM de Rondônia informou neste domingo (4) que encaminhou um efetivo de 60 homens com apoio de um helicóptero, para uma área onde os criminosos fizeram a emboscada que resultou em duas mortes e deixou seis pessoas feridas.

Conforme a PM, a área do crime é uma região de conflito agrário, e durante sobrevoo na região foram avistadas várias mulheres e crianças, portanto, a orientação foi retrair a tropa e garantir que a operação seria de resgate. 

Entenda o caso

De acordo com informações repassadas por testemunhas, o tenente Figueiredo Sobrinho estava na fazenda na companhia de parentes e amigos, quando foi surpreendido pelos criminosos. "Foram dar o 'bacu' no carro, encontraram o documento do tenente e descobriram que ele era militar. Estávamos na estrada todo mundo nu, apanhando, sangrando. Aí mandaram Figueiredo levantar. Levaram ele para o outro lado da estrada e na nossa frente, deram dez tiros nele no rosto e no peito. Aí atearam fogo no carro com tudo que nós tínhamos dentro", lembra.

Os sobreviventes afirmam que seguiram até uma fazenda próxima e pediram socorro. Três equipes policiais se deslocaram ao local para atender a ocorrência e sofreram uma emboscada. Quatro policiais militares foram alvejados durante o intenso confronto. Um deles, o sargento Márcio Rodrigues da Silva, que foi socorrido, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu.

Fonte:

Receba as notícias de Porto Velho no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário