Portal da Cidade Porto Velho

COMBATE

Responsáveis por ataques em Rondônia são alvo da Operação Descarrilho

A ação visa dar cumprimento a 36 mandados judiciais no município de Pimenta Bueno, sendo 18 mandados de prisão e 18 de busca e apreensão.

Postado em 30/10/2019 às 09:12 |

(Foto: Divulgação)

A Polícia Civil, por meio da 2ª Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (2ª DRACO), 1ª Delegacia de Pimenta Bueno D´Oeste e Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE/PCRO) deflagrou, na manhã desta quarta feira (30), a Operação “DESCARRILHO”. Que visa dar cumprimento a 36 mandados judiciais no município de Pimenta Bueno, sendo 18 mandados de prisão e 18 de busca e apreensão. 

A ação tem como objetivo a coleta de provas à conclusão de inquéritos que tramitam em sigilo, os quais investigam crimes de organização criminosa, tráfico de drogas, homicídio, lavagem de capitais, furtos e roubos praticados por integrantes de uma facção criminosa atuante em todo o estado.

As investigações iniciadas em 2018, segundo a Polícia Civil, possuem elementos suficientes para indiciar dezoito suspeitos. Alguns investigados já se encontrarem presos e mesmo dentro dos presídios, conseguiam articular o crime e comandar ações terroristas, de forma sincronizada, como a uma onda de ataques ocorridos em várias localidades do estado, incluindo incêndios e tentativas de explosão a veículos e prédios públicos, em Porto Velho, Ariquemes, Ji-Paraná, Vilhena e Pimenta Bueno. 

A primeira etapa foi nominada operação “Ordo Partium”, deflagrada em 24 de outubro (última quinta-feira) pela DRACO, nas cidades de Porto Velho, Vilhena e Ariquemes, marcando assim o “fim da festa” para as facções que estavam aterrorizando a população rondoniense. Ao todo, a Polícia Judiciária Civil deu cumprimento a mais de 70 (setenta) Mandados Judiciais nos últimos sete dias, sendo pelo menos 57 ordens de prisão preventiva ou temporária. 

EFETIVO EMPREGADO 

A operação “Descarrilho” contou com a participação de mais de 50 policiais civis das regiões de Alvorada do Oeste, São Miguel do Guaporé, Mirante da Serra, Ji-Paraná e Espigão do Oeste, além das unidades que a coordenam. A Secretaria do Estado de Justiça – SEJUS prestou apoio à ação por intermédio do Grupo de Ações Penitenciárias (GAPE), realizando revista completa na unidade prisional de Pimenta Bueno. 

  NOME DA OPERAÇÃO 

Audaciosos e autoconfiantes, os integrantes da facção criminosa referiam a si próprios como “O TREM” ou até mesmo “O TREM BALA”, pois acreditavam que poderiam passar por cima de tudo e de todos. Felizmente para o povo do estado de Rondônia, os meliantes não perceberam que à sua frente estava a Polícia Judiciária Civil. O Resultado só poderia ser esse, o DESCARRILHO do trem do crime diante da força do estado.


Fonte:

Deixe seu comentário