Portal da Cidade Porto Velho

POLÍTICA

"Se alguém fez algo errado, que assuma", diz o governador sobre operação da PF

O governador informou que determinou uma investigação em paralelo para investigar os fatos

Postado em 04/08/2020 às 15:54 |

(Foto: Divulgação)

Durante a entrega de 10 novos leitos de UTI, na manhã desta terça-feira (04), em Porto Velho, o governador de Rondônia, Marcos Rocha, comentou sobre a operação Polígrafo que investiga suspeita de fraude na compra de testes para covid-19 no Estado.

"Eu apoio todas as operações que têm acontecido, até porque estando tudo certo a gente vai mostrar que estava tudo certo, mas se alguém fez algo de errado, se alguém agiu de forma incorreta, buscando recursos ilícitos para si então que responda, então que assuma a responsabilidade do seu CPF", disse o governador.

A operação Polígrafo foi deflagrada no último dia 30 de julho pela Polícia Federal, com intuito de desarticular suposto esquema de fraudes na Secretaria Estadual de Saúde de Rondônia (Sesau) durante aquisição de 100 mil kits de testes rápidos para diagnóstico da covid-19.

O secretário-adjunto da Sesau, Nélio de Souza, está entre os investigados.

Investigações

De acordo com Polícia Federal, as investigações apontam que na ocasião da contratação, os agentes públicos descartaram empresas previamente selecionadas em chamamento público realizado pela Supel, para adquirir os testes e contrataram a empresa investigada com manifesta incapacidade técnica para prestação do contrato, nos termos definidos e necessários ao estado de Rondônia. 

Foi apurado ainda que a Sesau realizou pagamento antecipado de 30% do valor do contrato, ou seja, R$ 3.150.000,00 à empresa investigada, a qual não tinha registro dos produtos na Anvisa à época do certame.

As investigações da PF também revelaram um superfaturamento de cerca de 30% nas compras dos 100 mil kits de testes rápidos para covid-19. O preço médio de cada exame é de R$ 80,85, mas foram adquiridos por R$ 105. Em termos financeiros, o superfaturamento total da compra seria de R$ 2,5 milhões.


Fonte:

Receba as notícias de Porto Velho no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário