Portal da Cidade Porto Velho

INFLAÇÃO

Preço da gasolina volta a subir

O valor do litro da gasolina cresceu cerca de R$ 0,05 ou 1,18% para a média de R$ 4,368.

Postado em 30/09/2019 às 12:41 |

(Foto: Divulgação)

O preço médio da gasolina nos postos subiu pela segunda semana seguida, segundo dados divulgados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), na última sexta-feira (27). O valor do litro da gasolina cresceu cerca de R$ 0,05 ou 1,18% para a média de R$ 4,368. Na semana anterior, o preço havia subido menos de R$ 0,01, ou 0,16%. Em Porto Velho, o repasse ou não para o consumidor final depende dos postos.  

O aumento do preço do diesel foi maior, segundo a ANP. Nesta semana, o valor médio subiu cerca de R$ 0,09, ou 2,46%, para R$ 3,670 por litro. Foi a quarta alta semanal consecutiva registrada pela agência. A elevação de preços acontece após a Petrobras reajustar os preços dos combustíveis nas refinarias, seguindo sua política de preços que acompanha as cotações internacionais. 

Segundo o secretário executivo do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo do Estado de Rondônia (Sindipetro), Eduardo Valente, não há como medir a variação dos preços praticados pelos postos de combustível da cidade. “Atualmente, cinco distribuidoras operam em Porto Velho (Petrobras, Ipiranga, Shell, Atem e Equador) e cada uma tem um preço, que varia de acordo com o poder de barganha junto às refinarias”, explicou Valente. 

Desde 2002, vigora no Brasil o regime de liberdade de preços em toda a cadeia de produção, distribuição e revenda de combustíveis e derivados de petróleo. Isso significa que não há qualquer tipo de tabelamento nem fixação de valores máximos e mínimos, ou qualquer exigência de autorização oficial prévia para reajustes. 

De acordo com o Procon-RO, dezenas de consumidores realizaram reclamações dos preços praticados pelos postos de combustíveis da capital, nos últimos dias. A instituição informa que alguns estabelecimentos já foram notificados a fornecer informações sobre o aumento não justificado no valor dos produtos e que no momento estão aguardando respostas. 


Fonte:

Deixe seu comentário